Ads 468x60px

Featured Posts

15 de janeiro de 2010

Tagged under:

Dízimo é obrigatório para o cristão?

Esse assunto é delicado demais não é? 
Prefiro deixar essa postagem como opinião pessoal, e não fator oficial.
Se você é dizimista, continue sendo, e que o Senhor abençõe sempre sua vida material e espiritual.

É comum vermos em nosso meio frases do tipo: “Irmão, se você não der o dízimo você vai ser amaldiçoado!”, “Se quiser ser abençoado e repreender o devorador, dê o dízimo!”, e alguns vão mais além e colocam o dízimo como um fator indispensável para a salvação. Mas, afinal de contas, qual a posição do dízimo para a Igreja do Senhor Jesus? É ele um meio objetivo de se conseguir as bênçãos de Deus? A sua não observância resulta em maldição para o cristão? O que a Bíblia, principalmente o Novo Testamento, ensina a respeito do dízimo? Vamos procurar de forma sucinta e objetiva responder a estas perguntas.

O dízimo é uma obrigação para a Igreja?

Não, o dízimo não é uma obrigação para o cristão. Diferentemente da Antiga Aliança, onde fora determinado que Israel entregasse o dízimo (Lv 27:30-32; Nm 18:21-28; Dt 12:6,11,17; 14:22; Ml 3:10), não vemos no Novo Testamento nenhum ensino em relação ao dízimo com o mesmo tom imperativo da Antiga Aliança.

A passagem de Mt 23:23 (cf. Lc 11:42) é destinada aos judeus, e não aos cristãos. Já em relação ao dízimo de Abraão (Hb 7:2-9), tem-se que o mesmo, bem como o de Jacó, não passaram de atos de gratidão meramente voluntários (Gn 14:20; 28:20-22), sem nenhuma imposição escrita da parte de Deus, haja vista estas ofertas terem sido realizadas bem antes da instituição da lei.

Simplesmente não vemos em todo o Novo Testamento nenhum registro do exercício do dízimo na Igreja! Vemos que toda e qualquer espécie de contribuição financeira era realizada sob os moldes da voluntariedade (2 Co 8:3,11,12; 9:1,2,7) e da proporcionalidade das rendas de cada um (1 Co 16:2; 2 Co 8:12), mas nunca sob o crivo matemático dos 10%. Lembremo-nos do clássico caso de Ananias e Safira (At 5:1-10), onde percebemos no versículo 4 que Ananias detinha o total poder sobre o preço da herdade, não se reservando a décima parte para oferta. Ele poderia dar algum valor em oferta ou não; poderia dar a metade (Lc 19:8), tudo (Lc 21:2-4), uma terça parte, ou poderia, como bem disse Pedro, não dar nada.

É claro que nós, como cristãos, temos a responsabilidade bíblica de contribuir financeiramente para diversos fins. Valiosa é a observação do memorável teólogo Donald C. Stamps, em sua Bíblia de Estudo Pentecostal (CPAD), no estudo “Dízimos e Ofertas”:

“Nossas contribuições devem ser para a promoção do reino de Deus, especialmente para a obra da igreja local e a disseminação do evangelho pelo mundo (1 Co 9.4-14; Fp 4.15-18; 1Tm 5.17,18), para ajudar aos necessitados (Pv 19.17; Gl 2.10; 2 Co 8.14; 9.2), para acumular tesouros no céu (Mt 6.20; Lc 6.32-35) e para aprender a temer ao Senhor (Dt 14.22,23)”.

Destaque-se que o próprio Stamps, no citado estudo, em nenhum momento afirma que o dízimo é uma prática obrigatória para a Igreja. E olha que estamos falando de uma das obras teológicas mais clássicas e difundidas do meio assembleiano, notavelmente respeitada em nosso meio.

A prática de dizimar garante a bênção de Deus?

Não, o mero ato do crente dizimar não garante, em hipótese alguma, as bênçãos de Deus sobre sua vida. Até mesmo na Antiga Aliança, onde os judeus tinham a promessa de Deus da bênção em decorrência do dízimo (Ml 3:10-12), podemos contemplar exortações como as constantes em Am 4:1-12, onde percebemos que o dízimo não era fator objetivo da proteção divina contra o justo juízo do próprio Deus. Como bem observou Donald Stamps, na já citada Bíblia de Estudo Pentecostal: “De nada valiam, pois, seus sacrifícios e dízimos”.

Semelhantemente de nada aproveitou, para a justificação perante Deus, os dízimos que o fariseu dava (Lc 18:9-14).

Lembremo-nos que não estamos, em hipótese alguma, em condições de barganhar com Deus as suas bênçãos (Mc 8:37; At 8:17-20; Rm 4:4).

Quem não observa o dízimo está sob maldição divina?

Outra vez, não. Como já exposto acima, o dízimo não é uma obrigação para o cristão, e em não sendo uma obrigação, tem-se por lógico que não há maldição para o cristão que não entrega o dízimo.

Conclusão

Podemos concluir que a prática de dizimar em si não detém valor fundamental na sistemática cristã, sendo a sua prática ou não mero fator secundário, coberto pela liberalidade da graça (cf. 2 Co 9:13). Quem pratica o dízimo com voluntariedade e alegria, com o intuito de ajudar a obra do Senhor, com certeza faz algo que agrada a Deus. Igualmente o cristão que contribui de modo racional com ofertas não delimitadas a 10%, seja para a manutenção da igreja local, de obras missionárias, ou até mesmo para ajudar aos pobres e necessitados, com certeza também estará agradando a Deus.

Lembremos, por fim, que as ofertas e dízimos devem ser para cobrir as necessidades de quem faz jus (cf. At 4:34,35; Rm 12:13; 2 Co 9:12; Ef 4:28; Fl 2:25), e nunca para enricar ninguém, seja pastor ou irmão em Cristo. O cristão é responsável pelo modo como “gasta” seu dinheiro (cf. Is 55:2), devendo fazer justiça sempre, até mesmo na hora de contribuir financeiramente para o Reino. Destinar ofertas e/ou dízimos para uma igreja mais necessitada não é errado, sendo inclusive bíblica tal prática (cf. Rm 15:26; 1 Co 16:1-3). Enfim: há muitas maneiras sadias de se contribuir financeiramente para a promoção do Reino de Deus.

5 comentários:

  1. Graça ao nosso Deus, que tem levantado teólogos sinceros, que não se calam diante de doutrinas de homens. Esse pequeno estudo é de grande valia para nos dá uma luz com relação a controvertido assunto como esse, e, tirar de sobre muitos cristão um jugo pesado que nem os próprios líderes que pregam tal doutrina podem carregar. Me sinto aliviado, pois tenho pesquisado sobre o assunto e consultado várias fontes e tenho me surpreendido com a verdade. "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". Obrigado e que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  2. A UNICA COISA QUE FICOU FALTANDO NESSE ENSINO É QUE O DIZIMO ESTAVA LIGADO AO FRUTOS DA TERRA
    E NÃO DINHEIRO , TEM QUE FRISAR BEM ISSO POIS
    A IGREJA QUE JESUS FUNDOU, O CORPO DE CRISTO PELA FÉ REVELADA POR DEUS A PEDRO NÃO ESTAR LIGADA A DENOMINAÇÃO DE NENHUMA IGREJA E HEBREUS CAPITULO 7:12 OU PARA SER COMPLETO LER
    TODO O CAPITULO SE OS SEGREGADORES NAÕ COLOCA-SE TANTA ENFASE NO DINHEIRO E CADA UM CONTRIBUISSE LIVREMENTE O CORPO DE CRISTO SERIA OUTRO.

    ResponderExcluir
  3. A VERDADE TEM VINDO À TONA!!!!
    SOU DIZIMISTA POR ENSINAMENTO, MAS NÃO POR ESCLARECIMENTO, AGORA ESTOU ESTUDANDO O TEMA,NÃO PARA CONDENAR O QUE JÁ FIZ MAS PARA ESTAR CIENTE DE QUE NEM TUDO QUE SE FALA É VERDADE.A EXEGESE BÍBLICA ESTÁ ME ESCLARECENDO O QUE ANTES NÃO CONSEGUIA ENXERGAR,ISTO É MUITO VÁLIDO PRINCIPALMENTE PARA QUEM NÃO QUER SER EGOÍSTA A PONTO DE ACHAR QUE JÁ ESTÁ SALVO E POR ISSO NÃO DEVE PASSAR ADIANTE O QUE APRENDEU,ESTE É O MEU INTUÍTO: LEVAR A VERDADE FUNDAMENTADA NA VERDADE GENUÍNA DE DEUS,NÃO PARA CAUSAR POLÊMICA,NEM PARA QUE ACHEM ALGO PARA ME ACUSAR DE REBELDIA,MAS PARA QUE MUITOS COMO EU NÃO PEREÇAM,POR NÃO CONHECER AS ESCRITURAS.

    GRAÇA E PAZ EM CRISTO JESUS!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Irmão em Cristo,a Paz também estou estudado o Dizimo.e aprendi que temos que contribuir movidos pelo Espírito Santo de Deus; Já ouvi, uma pregação assim; Não vai um anjo pagar a conta da igreja;E assim pregaram o dizimo,Movido pelo Espírito Santo de Deus resolvi estudar o Dizimo.A ordem para Nós é está é 2º Aos Coríntios Cap.09 verc.05,06,07,08,09,10,11 está é a sã doutrina do corpo de Cristo numa melhor promessa.espero ter contribuindo com os Irmão Fica na Graça e a Paz do Senhor Jesus Cristo .Eu Falo que Jesus é Senhor !!!. Compreende isto!

    ResponderExcluir
  5. VENHO AQUI COM BASTANTE ALEGRIA E PAZ NO ESPÍRITO SANTO DE DEUS PARA LHE AGRADECER POR ESSE ARTIGO POSTADO, POIS MUITOS TEM SE DESVIADO DA VERDADE E PREGADO MENTIRAS NAS IGREJAS E ENGANANDO E ESCRAVIZANDO O POVO LIVRE DO SENHOR, FICO ÁS VEZES PENSANDO E RELENDO AS PASSAGENS DA PALAVRA QUE FALAM NESSE ASSUNTO E NÃO ENCONTREI NA GRAÇA NADA QUE NOS OBRIGASSE A DAR O DIZIMO, MAS INFELIZMENTE OS IRMÃOS DE HOJE NÃO CRÊEM NA PALAVRA DE DEUS E SIM NOS PASTORES E POR ISSO ESTÃO ALIENADOS E CAINDO NO BURACO JUNTOS COM OS SEUS LIDERES RELIGIOSOS EGOISTAS E MATERIALISTAS POIS O PRÓPRIO JESUS NOS ENSINOU QUE ANTES DE EDIFICARMOS UMA TORRE TEMOS QUE CALCULAR SE TEREMOS COMO CONCLUILA E HOJE AS PASTORADAS CONTAM COM A LÃ DAS OVELHAS E NÃO COM O SUOR DO SEU TRABALHO É TRISTE VER PASTORES COM CARRO DO ANOS E CASARÕES ENQUANTO AS OVELHAS MORAM EM MORROS E FAVELAS. O POVO CRISTÃO PRECISA ABRIR O OLHO SE NÃO VAI CONTINUAR SENDO ENGANADO E VIVENDO DEBAIXO DE MALDIÇÃO!

    ResponderExcluir

O que você achou deste artigo?
Me reservo o direito de não publicar comentários de anônimos e/ou contendo xingamentos ou spam.