Ads 468x60px

Featured Posts

24 de janeiro de 2010

Tagged under:

Trabalhos e despachos (macumba)

As pessoas normalmente agem como as águas, que procuram
sempre o caminho mais fácil para o seu escoamento. Procuram
também um caminho mais fácil, mais rápido e menos complicado
para resolver seus problemas e por causa disso, muita gente está
atolada no mais profundo lamaçal.
"Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo
dá em caminhos de morte."
Provérbios 14.12

Muitas pessoas estão hoje nas mãos dos espíritos demoníacos
devido à impaciência. Deixaram de esperar em Deus a solução
para seus problemas e acabaram sendo dominadas por exus,
caboclos, pretos-velhos, etc. Quiseram a solução rápida, a resposta
imediata; não se preocuparam com o meio correto para alcançálas.
Conclusão: acabaram perturbadas, doentes e
endemoninhadas. Fico surpreso ao ver pessoas que já
freqüentaram igrejas católicas, e eram outrora consagradas,
tementes a Deus, sendo obedientes aos mandamentos cristãos, e
agora estão nas garras de satanás. Tudo porque na hora de um
"aperto" qualquer se agarraram na primeira coisa que apareceu,
esquecendo-se da fé em Deus, procurando uma solução com o
diabo.
Aliás, muita gente só tem fé quando o céu está claro, quando
está tudo bem; mas quando começa a ventar, o tempo começa a
escurecer e a tempestade ameaça desabar, logo perdem a
confiança em Deus para se lançar pelos caminhos mais tenebrosos
possíveis.
Já atendi pessoas que antes eram dedicadíssimas, fervorosas,
as primeiras a entrarem na igreja mas, por um problema com um
filho, o esposo ou a esposa, passaram a consultar os espíritos,
tentando obter uma solução a curto prazo. A culpa, muitas vezes,
reside nos líderes evangélicos que não ministram o poder de Deus
na vida das pessoas. Pregam apenas o "evangelho chocolate" ou
"água com açúcar", e não libertam verdadeiramente as pessoas da
influência dos demônios.
Na verdade, todos que procuram soluções a curto prazo, sem
se importar com as conseqüências, acabam se deparando com o
diabo. Quando Jesus teve fome, imediatamente apareceu satanás,
tentando-O a transformar as pedras em pães. Hoje também
acontece a mesma coisa: quando temos problemas, satanás se
apresenta imediatamente e supostamente se coloca à nossa
disposição para resolvê-los.
É aí que entra a umbanda, quimbanda, candomblé e as
religiões e práticas espíritas de um modo geral, que são os
principais canais de atuação dos demônios, principalmente em
nossa pátria.
Os "trabalhos" e "despachos" são exigências dos demônios e
podem ser os mais variados possíveis, indo de comidas e bebidas
até os mais diversos presentes. Mais adiante o leitor saberá que
materiais são usados e quais as verdadeiras finalidades de tais
coisas.
Por que são feitos
Todos os trabalhos e despachos têm uma única finalidade:
satisfazer ao "santo" para conseguir favores, a curto prazo. É feito
um negócio entre a pessoa e o demônio. O exu promete um favor
em troca de um despacho, num determinado lugar, com dia e hora
marcados.
Quando desesperadas, as pessoas fazem qualquer coisa para
se ver livres dos seus problemas, mesmo que seja um negócio feito
com o próprio satanás. Embora tenham um certo temor, ainda
assim, devido ao desespero, não titubeiam e dão lugar ao diabo em
suas vidas.
Temos tratado constantemente de milhares de pessoas que,
na ânsia de conseguir seus objetivos, puseram-se a visitar
cabanas, centros e terreiros de feitiçaria, para consultar os mais
diversos guias infernais (erês, pretos-velhos, caboclos, exus, etc.).
Acabaram na "rua da amargura"; na miséria e desgraça total. A
maioria das pessoas que nos procura para receber orações de fé
chegam "aos pedaços", como se fossem verdadeiros quebracabeças
e, com o decorrer do tempo, vão se libertando de tudo
aquilo que as amarrava.
Os vexames passados para conseguir alguma coisa que, na
realidade, nunca atingiram, foram superados ao encontrar no
Deus Vivo tudo o que desejavam, e mais ainda.
Uma senhora me procurou pedindo ajuda em oração. Depois
de orar por ela, um exu manifestou-se dizendo ter ganho muitos
presentes para ficar naquele corpo. Após mandar o demônio
embora, ouvi daquela senhora algumas das suas experiências com
a umbanda e o candomblé.
Devido a uma perturbação mental, ela foi convidada a fazer
negócios com os exus para obter alívio. Começou assim sua viacrúcis
para o caos total. Disseram que o centro freqüentado por ela
não era muito forte e que seria melhor passar para um outro "com
mais força". Acompanhada por seu marido, foi aconselhada a ficar
sozinha para "fazer a cabeça", a fim de ficar livre do problema.
Depois de vender seu apartamento para pagar pela "obrigação",
ficou recolhida no mesmo terreiro de candomblé por mais de 60
dias.
Ali, fez o bori, a cabeça. Precisou raspar a cabeça, tomar
banho de sangue de animais e ficar dentro de um cômodo (roncó),
dormindo em uma esteira, coberta de moscas, baratas, ratos, etc...
Na verdade, quando aquela senhora "fazia a cabeça", estava
se submetendo à escravidão de satanás; dando lugar para que os
exus, caboclos, pretos-velhos e toda a sorte de demônios pudessem
se apossar do seu corpo para usá-lo como bem entendessem.

0 comentários:

Postar um comentário

O que você achou deste artigo?
Me reservo o direito de não publicar comentários de anônimos e/ou contendo xingamentos ou spam.