Ads 468x60px

Featured Posts

10 de junho de 2011

Tagged under:

Sermão – Vivendo como Salvos

Exórdio:

Cumprimento à todos os colegas de classe com a Paz do Senhor.

Saibam que sinto uma imensa satisfação, por esta oportunidade que me é concedida, em primeiro lugar por Deus, e também pelo corpo docente deste seminário, de poder ministrar a Palavra entre vocês.

Quero agradecer também ao professor Eneas, que no decorrer deste semestre nos possibilitou técnicas e experiência necessárias, e através deste aprendizado, pude elaborar esta mensagem.

Peço por gentileza, que os irmãos abram as suas bíblias[1], em Romanos, capítulo 13, dos versículos 8 até o 14, e me acompanhem na leitura:

8 - A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.

9 - Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.

10 - O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor.

11 - E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé

12 - A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz.

13 - Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja.

14 - Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.

Intróito:

Neste texto, o apóstolo Paulo escreve aos cristãos que vivem em Roma, algumas condições indispensáveis, para o crente viver verdadeiramente como salvo, ou seja, o fruto do Espírito, que só existe no crente salvo.

E nós, será que estamos vivendo como salvos?

O que é preciso para viver como salvo?

Corpo sermonário:

1 – Para viver como salvo, é preciso ser salvo

Para viver como salvo, não basta apenas dizer “sou crente”, ou como muitos estão preferindo dizer – “agora sou evangélico”.

Isso pode significar somente uma mudança de religião, onde a maioria – católicos (não praticante, para ser mais enfático), resolvem tornar-se membros de uma denominação evangélica, porém não tiveram uma experiência de conversão, um novo nascimento, enfim, não houve uma regeneração – o velho homem não “morreu”!

Assim, estas pessoas, mesmo com rótulo de crente; com cartão de membro da igreja evangélica, participantes da santa ceia, continuam praticando as mesmas obras pecaminosas que praticavam antes da sua “conversão”, ou seja, o “velho eu” não foi crucificado com Cristo, e as coisas velhas, na verdade, não se passaram.

Para este tipo de pessoa, em II Co 5:17, o apóstolo Paulo deixa um recado:

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.

Spurgeon – conhecido como “O príncipe dos pregadores” diz em uma de suas obras:

Quando se adia a conversão é como um barco onde o capitão viu que este estava a perigo de afundar. Por sorte se aproximou outro barco, oferecendo ajuda. Porém este recebeu a resposta de que esperasse até a manhã seguinte para que se visse se a ajuda realmente era necessária. Quando escureceu o barco foi a pique, e o outro se afastou (naquela época não havia rádio).”

2 – Para viver como salvo, deve-se tornar uma nova criatura

É preciso adotar uma nova maneira de viver, e isso, “nenhum homem consegue com seu próprio esforço, para não se vangloriar”.

Percebam, que Paulo diz no versículo que citei há pouco tempo – “Assim, se alguém está em Cristo”, e não se alguém está numa igreja evangélica.

Saibam que em qualquer igreja evangélica é possível entrar, tornar-se membro através do batismo nas águas, porém, para entrar “em Cristo”, é somente através do “batismo em Cristo”, este último feito pelo Espírito Santo, conforme Paulo escreveu à igreja de Corinto:

Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito. (I Co 12:13).

Para os crentes da Galácia ele diz assim:

“Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gl 3:28)

Quero que saibam, que estar revestidos em Cristo, tem o mesmo significado de “estar em Cristo”. Isto só é possível, através da regeneração (nascer denovo), como já citei anteriormente.

3 – Mas, como vivem os salvos?

Biblicamente eu posso citar inúmeras virtudes que devem acompanhar àqueles que são verdadeiramente salvos, e vivem como salvos. Basta olhar para os atributos do próprio Deus, pois, à medida que nos regeneramos, e começamos a desenvolver em nós a santificação, recuperamos também aquela “semelhança” à imagem de Deus, que foi corrompida pelo pecado, ou seja, quanto menos pecamos (o ideal seria nunca pecar), mais refletimos a imagem de Deus.

Porém, nesta oportunidade eu estarei citando apenas duas delas, as quais ao meu ver, são de suma importância: amor e honestidade.

3.1 Amor

Olhem para os versículos 8 e 10, do capítulo de romanos que lemos no início desta Palavra, para que vejam como Paulo dá importância para o amor:

A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei”.

“O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor”.

O amor é um logotipo dos salvos! Jesus estabeleceu o amor como uma condição indispensável para identificar os seus discípulos, e nós, como discípulos autênticos de Jesus, temos que carregar essa característica conosco.

Só para dar mais firmeza ao que acabei de expor, vejam só o que o Senhor Jesus diz no Evangelho de João, capítulo 13 e versículo 35:

“Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”.

Notem irmãos, que o Senhor Jesus estabeleceu essa condição como “um novo mandamento”:

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis”. (Jo 13:34)

Os crentes da igreja primitiva, e também os de hoje, foram e são ensinados a viver em amor. Vejam só o que dizem os Apóstolos João e Pedro, em suas epístolas:

“Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte” (I Jo 3:14)

“Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade” (I Jo 3:18)

“Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro” (I Pe 1:22).

O amor continua sendo, hoje, uma das maneiras de identificar os crentes, que estão vivendo como salvos.

Com isso deixo uma pergunta, para vocês apenas refletirem; não precisam me responder:

Vocês estão vivendo em amor?

Agora meus amados, vou citar um outro atributo, indispensável àquele que vive como salvo – a honestidade.

3.2 Honestidade

Honestidade é uma característica de uma pessoa de bom caráter, honrada, moralmente irrepreensível.

Ser honesto é o mesmo que ser alguém de confiança, que zela pelo seu nome e cumpre sua palavra. Honestidade é um dos atributos do nosso Deus, e nós, para sermos semelhantes à Ele, temos não só por obrigação, mas também por gozo – ser honesto.

Para a Bíblia, um bom nome é considerado algo muito precioso.

Vejam o que Salomão diz em um dos seus provérbios:

“O que ama a pureza de coração, e é amável de lábios, será amigo do rei” (Pv 22:11)

Trazendo este ensinamento para os nossos dias, podemos dizer que aquele que é “limpo” (honesto), tem comunhão com o Rei (Jesus).

Ser honesto é indispensável para quem deseja ser um obreiro. Vejam o que Paulo diz em sua primeira epístola à Timóteo, pastor por ele constituído, para pastorear a igreja de Éfeso:

“Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar” (I Tm 3:2).

É muito bom poder tratar de negócios com um obreiro, comprar, vender para ele, ouvi-lo pregar, e saber que se pode confiar em tudo que ele está falando, pois, biblicamente um obreiro tem que ser um homem confiável, pois ele é um salvo.

Vivendo em honestidade, ele é incapaz de mentir, de enganar, de prometer e não cumprir, pois zela por sua palavra.

Vejam o exemplo que Paulo dá à igreja de Corinto, quando fala de si próprio:

“Pois zelamos do que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens” (II Co 8:21).

Paulo apenas não tinha um viver honesto, mas exortava aos irmãos a procurarem as coisas honestas.

Vejam o que ele disse aos cristãos que viviam em Roma:

“A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens” (Rm 12:17)

Mais uma vez deixo uma questão para a igreja refletir:

Para viver como salvo, é preciso ser honesto. Você está vivendo em honestidade?

Conclusão:

Já concluindo a mensagem, quero apenas relembrar uns pontos da nossa mensagem:

a) Para ser salvo, não basta você mudar de religião, mas sim deixar as coisas velhas para trás, e tornar-se um imitador de Cristo, restaurando as características que nos faz parecermos com Deus.

b) Ninguém consegue ser semelhante ao Pai, a não ser com a Sua ajuda, portanto, roguem ao Senhor, para que se desenvolva em seu coração, os atributos do crente salvo, onde eu citei dois como principais, o amor e a honestidade

c) Deus é amor, portanto, se querem ser parecidos com Deus, amem, inclusive aos que te odeia.

Jesus disse em Mateus 5:44:

“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus”;

Não é na hora que o navio bate na rocha que o comerciante se preocupa com as mercadorias, mas antes de sair o navio. Não espere o dia final para cuidar de sua vida espiritual”. (Spurgeon)

d) Cristão verdadeiramente salvo é, e continuará sendo confiável; cumprirá suas promessas, mesmo sem haver um contrato escrito, pois ele tem seu nome à zelar, e fará isso em nome de Jesus.

e) Crente salvo não aceita seu nome na sarjeta. Ele aprendeu com Jesus e cumpre sua palavra de modo que: Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna” (MT 5:37).

Apelo

Que a partir deste momento, todos os presentes tomem consciência de como estão vivendo, e analisem os seus frutos, e busquem ajuda do Alto, para viver uma vida verdadeiramente em Cristo.

Eu tenho a certeza, que além dessas duas qualidades que falei nesta oportunidade, os irmãos descobrirão uma infinidade de virtudes que o nosso Deus têm para adicionar na sua maneira de viver.

Peço a igreja que se coloque em pé, para que oremos ao nosso Senhor, afim de que Ele lapide o nosso coração, e encha-nos com as suas virtudes.

- Uma breve oração, sem palavras rebuscadas é feita junto com a igreja, afim de alcançar também àqueles que nunca tiveram na casa do Senhor, não somente os religiosos (crentes nominais).

Agradeço esta oportunidade, em nome de Jesus!

Eduardo


[1] Eu usei a Bíblia ACF (Almeida Corrigida Fiel), por ser uma das mais encontradas nas igrejas.

0 comentários:

Postar um comentário

O que você achou deste artigo?
Me reservo o direito de não publicar comentários de anônimos e/ou contendo xingamentos ou spam.